26 julho, 2011

Once In a Lifetime




Entre as dezenas de memoráveis e os muitos irrelevantes (sem contar com as inesquecíveis mas estrondosas decepções), concertos há que nos marcam para a vida de uma forma que, por vezes, só mais tarde apreendemos. Uma emoção (pode assumir componentes múltiplas e variadas) que não sabemos como nasce, nos arrebata e persiste em preencher-nos de uma forma frenética, ao longo dos dias.
Foi isso que me aconteceu no sábado passado, no Jazz no Parque em Serralves, com os "Tea for Three" do trompetista Dave Douglas.
Lembrei-me então, por impulso, de listar em édito solene e ainda que sujeito a equívocos ou ausências involuntárias, os mais memoráveis concertos da minha vida:



Téléphone (La Louvière - Bélgica)
Roxy Music & King Crimson (Estádio Municipal de Faro)
J. Garbarek, C. Haden & N. Vasconcelos (Aud. Ar Livre Gulbenkian Lisboa)
Jaques Higelin (Teatro S. Luis em Lisboa)
Bruce Springsteen (Estádio de Alvalade)
John Zorn - Naked City (Aula Magna Lisboa)
John Cale - Digressão "Music for a New Society" (A. Magna Lisboa)
Four Man & a Dog (Fest. Intercéltico Porto - Cinema do Terço)
Tom Waits (Auditori del Forum Barcelona)
G. Dudamel & O. S. Los Angeles - 9ª Sinf. Mahler (G. Aud. Gulbenkian Lisboa)
"Tea for Three" de Dave Douglas (Jazz no Parque Serralves Porto)





"Tea for Three"

Dave Douglas - Trompete

Enrico Rava - Trompete
Avishai Cohen - Trompete
Uri Caine - Piano
Linda Ho - Contrabaixo
Clarence Penn - Bateria


3 Comments:

Anonymous henedina said...

what have I done "Once In a Lifetime". Bons concertos.

28 julho, 2011  
Blogger Filipa Júlio said...

"Once in a lifetime,
water flowing underground"

29 julho, 2011  
Blogger Windtalker said...

Momentos de excepção...

Into the blue again, into the silent water
Under the rocks and stones, there is water underground
Same as it ever was...

(Cabeças Falantes)

29 julho, 2011  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home