13 janeiro, 2008

Deep Blue Sea


disfrutar...

não se disfruta sem disponibilidade para a minúcia, sem o arrepio das emoções e das descobertas...

não há descobertas sem curiosidade...e toda a descoberta supõe integrar, pelo menos, uma arrebatadora surpresa...

não há curiosidade sem o bichinho do prazer nos enrolar por dentro...

não há prazer com atitudes mornas, mas sim quentes, temerárias...

não há atitudes temerárias sem força de vontade e aprendizagem, sem evolução, sem empurrar de limites, sem disfrutar...
plancton © Ron Church


...surpreendente leveza do corpo e do espirito, notável sensação libertária da mente, sentido do risco, gozo pela perdição, pela solubilidade total...
O “deep blue sea” é uma serenidade fantástica que inunda cada um de nós e da qual deveríamos possuir a maior consciência.

É sem dúvida enebriante mergulhar em quentes e longíquos mares azuis...
É infinitamente perverso e estimulante ser abençoado por irresistiveis tentações...


2 Comments:

Blogger Cometa 2000 said...

Perverso e estimulante, de facto!

:)

22 janeiro, 2008  
Blogger Windtalker said...

A vida sem um pequeno "frisson" empalidece...

22 janeiro, 2008  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home