20 outubro, 2007

Porque Não Podem os Engenheiros Ocupar-se a Escrever Livros de Receitas


Descrição do Processo da Síntese das Bolachas de Chocolate

Composição :

  1. 532.35 cm3 - cereal triticum moído, passado por crivo, malha 150 µm.
  2. 4.9 cm3 - NaHCO3
  3. 4.9 cm3 - halite refinada
  4. 236.6 cm3 - triglicerídeos lácteos de origem bovina, parcialmente hidrogenados
  5. 177.45 cm3 - C12H22O11 cristalino / C12H22O11 não refinado
  6. 4.9 cm3 - methyl-ether de protocatechuic-aldehyde
  7. 2 compostos protéicos aviários, com revestimento de albuminas e encapsulamento de carbonato de cálcio.
  8. 473.2 cm3 - Fruto do theobroma cacao pós-processado
  9. 236.6 cm3 - extracto desencapsulado e redimensionado de fruto com origem na ordem das Favales (tamanho de peneira #10)

Num reactor cilindrico de 2L de capacidade, sujeito a condicionamento térmico (reactor #1), com um coeficiente de transferência calorífica de cerca de 1,6 KBtu/ºC-m2-H, junte os ingredientes um, dois e três, mantendo uma agitação constante. Num segundo reactor de 2L (reactor #2) equipado com uma hélice de fluxo radial com uma velocidade rotacional de 100 rpm, crie um segundo lote incluindo os reagentes quatro, cinco e seis, até que a mistura se homogenize. Ao reactor #2 adicione o componente sete, seguido de três volumes idênticos da mistura homogénea processada no reactor #1. Complementarmente (e este é um ponto crítico para a variabilidade do processo), adicione ingredientes oito e nove, com caudal lento, mantendo o agitador num regime uniforme. Neste passo, a temperatura deverá ser igualmente controlada com rigor, pois qualquer gradiente positivo inesperado da mesma, poderá resultar numa reacção exotérmica.
Utilizando um extrusor dedicado, acoplado a um paletizador #4, separe o produto em peças de igual volume (15 – 20 mL) e disponha-as sobre uma chapa de AISI316 (300 x 600 mm). Prossiga efectuando um tratamento térmico em forno pré-aquecido a 460 ºK, por um período de tempo em conformidade com a expressão de estabilidade de primeira ordem de Frank & Johnston (ver igualmente JACOS, 21, 55), ou até que o produto adquira uma côr castanho-dourada. Uma vez a reacção terminada, coloque a chapa num suporte com espaço permutador de calor, a 25 ºC, permitindo ao produto atingir o equilibrio.
O produto pode ser ingerido quando a histerése do ciclo térmico, estabilizar abaixo dos 335 ºK.






PS : Agradece-se o contributo de vários amadores das artes culinárias e ilustres copistas, que garantiram uma valiosa compilação com base em várias fontes de origem anglo-saxónica dispersas por esta virtual vizinhança, cuja tradução livre acima se reproduz.


7 Comments:

Anonymous jardineiro de montparnasse said...

Wind,

Coincidência ou não, comprei hoje um reactor cilíndrico num centro comercial e vou já experimentar a tua receita... lol
Ah, tens um desafio literário no meu blog.

Abraço

21 outubro, 2007  
Blogger Aninhas said...

Sorri com vontade!
Obrigada pela receita.

22 outubro, 2007  
Blogger Windtalker said...

Viva Jardinier (sendo de Montparnasse...!) o teu desafio já está na calha. Quanto a reactores, a respectiva selecção requer especial cuidado, particularmente a das versões pressurizadas.
Abraço

22 outubro, 2007  
Blogger Windtalker said...

Aninhas
...e este processo é meramente quimico. Agora imagina um conjugando a quimica e a mecânica como o tiramisu'!!

22 outubro, 2007  
Blogger redonda said...

Não sei porquê mas não parece lá muito apetitoso...

24 outubro, 2007  
Blogger Windtalker said...

Redonda, antes de mais obrigado pela visita. Quanto ao apetitoso versus aparências, muito haveria que dissertar...é o milenar dilema entre, numa primeira prova por descrição ou aspecto, escolher entre o cogumelo vermelho às pintas e a lagosta...

24 outubro, 2007  
Blogger Hipatia said...

Adorei!

24 outubro, 2007  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home