19 abril, 2007

O Velho Par

Há tanto tempo que não sabia de ti!...Nem o encanto se quebrou nem o mistério se desvaneceu...Será que o nosso (azul e denso) mar perde o seu fascínio por nele afogarmos os nossos olhos?...é como com as velhas lanternas mágicas; é sempre a mesma bailarina a passar pela luz da janela, mas sempre nova, sempre surpreendente. E mesmo ao fim de muitas voltas, surge mais aquele pequeno detalhe que nos fisga a atenção...
Senti a tua ausência... perdi o ritmo, perdi o tempo, agora tão desenfreado...perdi-te no tempo...
Anda!...depressa... conta-me a tua ausência, canta-me o quanto te faltei, reacende-me a memória com o toque e com os passos... devolve-me ao quente da tua revigorante entrega, ajuda-me a soprar a ténue brasa dessa nossa velha paixão.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home